Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 20 de março de 2015

Paralisação termina e objetivos são alcançados

Trabalhadores de Campinas e região deliberaram em assembleia o retorno às atividades a partir das 0:00 horas da sexta-feira, dia 20/03, porém, mantem-se o estado de greve.
A paralisação teve e, continuará tendo como objetivo a denúncia.

Denunciamos através de nossa paralisação a falta de condições de trabalho pelos quais estamos passando e o descaso da direção da empresa para com os clientes e a população em geral. Mas principalmente, a necessidade urgente de realização de concurso público por tempo indeterminado para o preenchimento das vagas em aberto, necessárias para resolução dessa situação.

Conseguimos com a paralisação alcançar a mídia, que nos deu espaço para explicarmos e darmos os esclarecimentos a população e denunciar o sucateamento que hoje acirra a Empresa de Correios.

Conclamamos aos trabalhadores que não desanimem e não desistam de lutar pelos seus direitos. Nenhum deles veio de graça, foram fruto da luta de outros trabalhadores que por aqui estiveram antes de nós. O momento é difícil, e vários ataques estão sendo feitos à categoria, mas só nossa união poderá impedir que esse ataques nos derrubem.


Intertexto Correios
"Primeiro extinguiram a função de manipulantes
Mas não me importei com isso
Eu não era manipulante
Em seguida demitiram alguns funcionários
Mas não me importei com isso
Afinal, eram apenas alguns funcionários
Depois extinguiram a função de motorista
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou motorista
Depois encheram a empresa de MOT´s
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei
Agora estão acabando com minha função
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo."
Inspiração, Intertexto - Bertolt Brecht



Nenhum poder, nenhum governo, nenhum partido pode tirar de nós o direito de lutar, pois só a luta muda a vida!


Saudações aos companheiros!

quarta-feira, 18 de março de 2015

Greve por tempo indeterminado!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Em Assembleia realizada na sede do Sindicato dos Metalúrgicos em Campinas, os trabalhadores da base do Sintectcas presentes deliberaram e decidiram pela greve por tempo indeterminado com avaliação diária a partir das 22:00 horas de hoje, dia 17 de março de 2015.

Em breve mais informações

quinta-feira, 12 de março de 2015

A 9° Vara da Justiça do Trabalho de Campinas determinou que ECT devolva em 10 dias, os valores descontados na folha de pagamento de fevereiro/15, referente a greve do Postal Saúde.

Justiça determina que a devolução de
desconto seja feito em 10 dias
Governo Dilma cumpre a ameaça e ataca os ecetistas  naquilo que lhe é mais sagrado, o salário , deixando muitos companheiros em dificuldades. O desconto se dá em cima daqueles que ousaram brigar por seus direitos, uma vez, que a direção da ECT atacava um dos nossos principais benefícios, nosso PLANO DE SAÚDE!

A prova que a greve estava correta é o “caos” que estamos assistindo no POSTAL SAÚDE, onde os trabalhadores estão sofrendo nos quatro cantos do país, com este plano que só funciona na pressão de nova paralisação, todo mês, chove reclamações em cima de reclamações, por parte de companheiros que deixam de ser atendido no convênio medico, que se descredenciam por falta de pagamento.

Muitos companheiros não vieram para o enfrentamento na greve contra o Postal Saúde, e hoje sofremos à consequência das mudanças maléficas que ocorreu naquele que era nosso melhor beneficio, o CORREIO SAÚDE.

Esta luta ainda não acabou, e só vamos mudar esta situação com enfrentamento, e para isto não pode ter vacilo da maioria dos trabalhadores como ocorreu no ano passado. Já temos relato de mãe de trabalhador que morreu, porque o Postal Saúde foi negligente, poderia ser a mãe de qualquer um de nós.

Dia 17/03 (terça-feira) teremos assembleia no Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas, onde os trabalhadores estarão deliberando por mais um enfrentamento contra o Postal Saúde, falta de concurso público por tempo indeterminado, condições de trabalho e contra a privatização e precarização dos Correios. A HORA DE LUTAR É AGORA, TODOS NA ASSEMBLEIA!

Devolução dos valores descontados em fevereiro/15

A direção do SINTECT/CAS através do seu jurídico , questionou a arbitrariedade dos descontos do salários dos trabalhadores por conta da greve contra o Postal saúde, e nesta quinta-feira (12/03) a Juíza do Trabalho, Dra. Roberta Amstalden, da 9° Vara da Justiça do Trabalho de Campinas, concedeu LIMINAR determinando que a ECT devolva os valores descontados na folha de pagamento de fevereiro/15, referente à greve do Postal Saúde, em 10 dias contados da intimação da empresa, e não efetue nenhum desconto até final decisão do processo.

Estamos de olho para que a empresa seja intimada o mais rápido possível!

Fiiiiiirmes companheiros!




terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

O presidente dos Correios, mente que nem sente!

Wagner Pinóquio, um homem que os ecetistas não podem confiar 
O presidente dos Correios, Wagner Pinóquio, se viu obrigado a mudar sua versão depois que a direção do SINTECT/CAS denunciou que a afirmação feita por ele em entrevista ao DIA e ao Brasil Econômico, veiculada no dia 18/02, era mentirosa no que diz respeito ao Sindicato dos Trabalhadores em Correios de Campinas e Região terem acordo com a empresa, para que seja realizado concurso público temporário.

Mas mesmo sua nova versão vem carregada de "meias verdades”, mas como não existe verdade pela metade a sua declaração mais uma vez é MENTIROSA! Mas ai não tem muito o que fazer, pois como dissemos em outra oportunidade, acredito que mentir esteja no seu sangue, no DNA de Wagner Pinóquio.

Veja abaixo o trecho da sua nova versão, para o DIA:

"Os Correios, porém, reafirmaram em nota, que a “substituição gradativa da mão de obra temporária por contrato de trabalho por prazo determinado” consta do item 22 do Acordo Coletivo de Trabalho 2014/2015, que foi assinado pela Federação Nacional dos Trabalhadores das Empresas de Correios e Telégrafos (Fentect), da qual o sindicato de Campinas faz parte, uma das representações contrárias ao novo modelo de concurso.
“Os sindicatos do interior do Estado de São Paulo vêm participando das reuniões do Sistema Nacional de Negociação Permanente sobre o tema e a maior parte deles já aceitou essa proposta. Essa modalidade não exclui a realização de concurso público para contratação de efetivos”, explica a nota".
Fonte: O DIA 

O problema é que, o Pinóquio, - "mente que nem sente" - como costumava dizer os antigos - é verdade que a FENTECT assinou o acordo coletivo, uma vez, que foi atingido quorum de sindicatos para a assinatura deste acordo. E o SINTECT/CAS foi uns dos sindicatos que se posicionou contra a assinatura do Acordo Coletivo. O concurso publico foi um dos motivos, dentre vários, para recusarmos a proposta da ECT. Mas o que o presidente da empresa não fala, é que, a clausula 22 diz o seguinte:

PROCESSO PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO – A ECT manterá o processo permanente de negociação com as Federações legalmente constituídas e Sindicatos dos Empregados dos Correios, por meio do Sistema Nacional de Negociação Permanente- SNNP-Correios, com regras definidas em conjunto com as representações dos Trabalhadores.

Parágrafo 1°- Os temas/assuntos a serem debatidos serão ACORDADOS previamente entre as partes, dentre os quais:

I - ...

II - ...

III - a substituição gradativa de mão de mão-de-obra temporária – MOT, por contrato de trabalho por prazo determinado, nos termos da Lei 9.601/98, cuja deliberação integrará, para todos os fins, o presente Acordo Coletivo de Trabalho”.

Vejam que pela cláusula, o fato da FENTECT ter assinado o acordo não significa que concorde com este ataque, e o parágrafo 1°, reza que : “Os temas/assuntos a serem debatidos serão ACORDADOS previamente entre as partes...”, ou seja, debater não significa APROVAR!

A 38ª Plenária Nacional dos Trabalhadores em Correios, deliberou que a FENTECT só estaria autorizada pela categoria a participar do SNNP se a ECT respeitasse as seguintes condições: - Fim dos acordos individuais por sindicato, sendo que qualquer acordo só seria assinado caso 2/3 das assembleias dos sindicatos filiados aprovassem a proposta em pauta; - O Comando de Negociações teria o mesmo formato das Campanhas Salariais, composto por 1 representante de cada sindicato e 6 dirigentes da FENTECT; - As pautas e o calendários de negociaçõe seriam propostos pela representação dos trabalhadores; - Fim do financiamento, por parte da ECT, das despesas dos dirigentes sindicais que participassem do SNNP, tais quais passagens aéreas, táxi, diárias e hospedagem. Mas como consta registrado nas atas das reuniões do próprio SNNP, ocorridas em 22 e 23 de janeiro de 2015, a ECT não respeitou, nem acatou as condições apresentadas pelos trabalhadores mediante deliberação da 38ª Plenária Nacional.

Sendo assim, a FENTECT no seu informe de n° 009/2015 informa que: “não participará das próximas reuniões do SNNP e orienta os sindicatos filiados a não participarem. Temos muito interesse em discutir os assuntos pautados para a reunião da SNNP, porém, através do Comando de Negociação Permanente, previsto nos artigos 65 e 66 do Estatuto da FENTECT, bem como de outros temas que são de grande relevância para a categoria. Para que isso aconteça, é necessário o respeito às disposições legais no que tange a representatividade e a isonomia da categoria ecetista em âmbito nacional, de forma a ensejar decisão unitária para todos os trabalhadores”.

O SINTECT/CAS já não está fazendo parte desta tal “SNNP”, pois nos recusamos a sentar numa mesa em que não exista uma negociação de fato, e sim, um circo armado para que a direção da ECT consiga aval dos representantes dos trabalhadores, para enfiar goela abaixo o seu pacote de maldade à categoria ecetista, e para isto contam com a contribuição da parte entreguista do movimento sindical.

Wagner Pinóquio, diz em nota a imprensa que: “Os sindicatos do interior do Estado de São Paulo vêm participando das reuniões do Sistema Nacional de Negociação Permanente sobre o tema e a maior parte deles já aceitou essa proposta...”. Então que ele diga quais são os sindicatos que aceitaram a proposta de concurso público temporário, e apresente o acordo assinado, para que a categoria possa saber quem são os entreguistas dos direitos dos trabalhadores. Se existir mesmo este acordo assinado, e o presidente da empresa aceitar o desafio de mostrar, veremos e digo sem medo nenhum de errar, que tamanha traição virá daqueles sindicatos que boicotaram a luta dos trabalhadores até aqui. Quem viver verá!

NENHUM DIREITO A MENOS,

 RUMO A NOVAS CONQUISTAS

domingo, 22 de fevereiro de 2015

EDITORIAL

"NÃO HÁ PACTO ENTRE HOMENS E LOBOS"


"Óleo e água" - Não se mistura
por Biaia
Coordenador Geral
do SINTECT/CAS

O presidente dos Correios, Sr. Wagner Pinheiro (PT) deu uma entrevista para o Brasil Econômico, no dia 18/02/2015, faltando com a verdade. Disse nesta entrevista que pretende realizar concurso público temporário com o consentimento do Sintect Cas.

A direção do Sintect Cas já soltou uma nota desmentindo o presidente dos Correios e reafirmando a posição da entidade que é totalmente contrária à este modelo de contratação, aliás, parece que mentir faz parte do DNA do Sr. Wagner Pinheiro (PT).

Mas mesmo com a posição oficial da entidade a qual sou Coordenador Geral, quero me posicionar enquanto pessoa e principalmente como trabalhador desta digna empresa, e que o Sr. Wagner Pinheiro (PT) está destruindo.

Eu, LUIS APARECIDO DE MORAES, entrei nesta empresa à 23 anos atrás através de concurso público, e recebi a matricula de n° 8.891.390-2, diferente de Wagner Pinheiro (PT) que entrou pelas portas do fundo dos Correios através de indicação política do Partido dos Trabalhadores, com a missão de fazer aquilo que o PSDB não conseguiu fazer com a ECT. PRIVATIZA-LA!

Desde sua chegada na empresa, várias maldades já foram impostas aos trabalhadores, com a colaboração de parte do movimento sindical, que por fazerem parte do mesmo partido político,  de Wagner Pinheiro (PT) fecham os olhos aos ataques que a categoria vem sofrendo.

Wagner Pinheiro ( PT ), atuou no ano de 2011, pessoalmente no Congresso pela aprovação da MP 532, que foi transformada na Lei 12.490/11 abrindo as portas para a privatização da ECT. De lá para cá só foram ataques em cima ataques, onde na sua gestão levou todas as negociações de Acordo Coletivo para o TST, uma vez, que os trabalhadores não aceitaram suas propostas de retirada de direitos, no intuito de deixar a empresa mais leve e atraente para o capital privado.

Dentre os ataques, o maior dele ao meu ver, foi a mudança no nosso plano de saúde, que levou os trabalhadores a fazer 43 dias de greve - fora de uma campanha salarial - onde os sindicalistas comprometidos com os trabalhadores apontavam a armadilha que estava sendo armada para a categoria. O Sr. Wagner Pinheiro (PT), vivia dando entrevista na mídia, tentando desacreditar os grevistas dizendo que nada iria mudar no nosso plano de saúde.

Vendo que os grevistas estavam mesmo dispostos a defender o seu maior beneficio conquistado através da luta, mais uma vez, o presidente da ECT recorreu ao TST que fez o papel de acabar com a greve atacando os grevistas com desconto no salário de 15 dias e a compensação dos restantes dos dias de paralisação.

Não demorou muito para que o novo plano de saúde começasse a dar problemas, persistindo até os dias de hoje. O que demonstra que a greve contra o Postal Saúde estava correta, os trabalhadores estão sofrendo com o Postal Saúde, existe relatos de mãe de trabalhador que já morreu por conta da ineficiência do plano, hospitais se descredenciando por falta de pagamento e por ai vai.

Diante de tudo isto, sei que não precisava estar aqui dizendo que Wagner Pinheiro (PT) é um mentiroso de carteirinha - mas faço questão de afirmar que não existe pacto entre homens e lobos - pois este cidadão tem como único objetivo enxugar custos e aumentar o lucro da ECT, sem se preocupar com as pessoas.

Quero reafirmar aqui o pacto que a DIRETORIA COLEGIADA do Sintect Cas tem com os trabalhadores, que é de manter este sindicato independente da empresa, do governo e com total autonomia frente aos partidos políticos, e eu, na condição de Coordenador Geral me comprometo a continuar sendo intransigente na defesa e nos diretos dos trabalhadores.

Sobre a perola dita pelo Sr.Wagner Pinheiro (PT), de que existe acordo com Sintect Cas para concurso público temporário, é só mais uma das muitas MENTIRAS vindo por parte do presidente da ECT. o Sr. Wagner deveria mudar o seu sobrenome e passar a se chamar Wagner Pinóquio! É MAIS A SUA CARA!

Aqui em Campinas vai ter luta, repito, não há como ter pacto entre homens e lobos. O atual presidente da ECT veio para destruir os Correios, e nós vamos resistir lutando por nenhum direito a menos, e sempre que possível, avançar rumo a novas conquistas.

Saudações Sindicais a tod@s

Luis Aparecido de Moraes
Matriculado na ECT sob o n° 8.891.390-2


P.S: Já o "OUTRO", leia-se WAGNER PINÓQUIO, entrou pelas portas dos fundos da ECT e não tem matricula como os 110 mil trabalhadores concursados dos Correios. Na verdade a maior parte da direção dos Correios na gestão deste presidente, é de FORASTEIROS.

Ou seja, TERCEIRIZADOS! E vejam a DESTRUIÇÃO que estão fazendo nos Correios!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Presidente dos Correios: Mente na imprensa, quando diz que irá fazer concurso público temporário em Campinas com o consentimento do SINTECT/CAS.


Mais uma mentira de Wagner Pinheiro 
No dia de ontem veiculou na imprensa (O DIA e Brasil Econômico) uma entrevista do presidente dos Correios, Sr. Wagner Pinheiro dizendo que: “Irá fazer concurso público para mão de obra temporária”. Nesta entrevista o presidente dos Correios falta com a verdade quando diz que o SINTECT/CAS tem acordo com este modelo de contratação. Veja abaixo  trecho da entrevista:

Como será o novo modelo de contratação de funcionários?

Vai ser por concurso, mas que terá validade de 12 a 60 meses, modelo já aprovado pelos órgãos de controle. Algumas universidades já vêm praticando e vamos fazer pela primeira vez. Formatamos e aprovamos na diretoria na semana retrasada. Inclusive, já foi acordado com o sindicato de Campinas, onde temos os maiores problemas (grifo nosso). Seguimos uma norma do Governo Federal, obedecemos o básico da leis de Licitação e de Concurso Público. O concurso é transparente, a pessoa sabe que está disputando uma vaga que vai de 12 a 60 meses. Porque se ao final de um ano a empresa não precisar mais do quadro, pode romper o contrato. Para nós, é importante, porque temos demandas sazonais e temos sempre problemas com a Justiça para a contratação de mão de obra temporária. É a primeira vez que vamos fazer, começamos em Campinas, mas depois vai ser levado para o Brasil inteiro. Mas não abandonaremos os concursos nos termos tradicionais. Estamos em análise para um possível concurso nos moldes tradicionais para ainda em 2015.

Fonte: Brasil Econômico
A posição do SINTECT/CAS
Queremos deixar claro que somos totalmente contrários a este modelo de contratação! O que ocorre na região de Campinas não é uma falta temporária de trabalhadores como quer deixar entender o presidente do Correios. Há uma falta generalizada e permanente de trabalhadores efetivos. O que o presidente da ECT não fala é que, com a lei 12.490/11, que permitiu parcerias comerciais, o projeto deles é criar empresas privadas para realizar atividades que hoje são feitas pelos trabalhadores dos Correios. Assim este tipo de concurso caberia como uma luva para o projeto da ECT, enquanto não se estrutura as parcerias comerciais. Fomos procurados por dirigentes da ECT e dissemos nossa posição de forma clara: “não assinaremos nenhum acordo de contratação temporária”.
A terceirização das atividades-fim dos Correios, inclusive, é objeto de ação judicial proposta pelo Sindicato dos Trabalhadores de Campinas e Região, que é contra essa terceirização, estando referido processo com decisão favorável à proibição dessa terceirização e contratação fora dos moldes estabelecidos na lei nº 6019/74, do trabalho temporário, em duas instâncias. Sendo assim, o Sindicato jamais fez ou fará acordo em contrário com os Correios! Nossa política é de não assinar nenhum acordo que retire direitos e este modelo de concurso público retira direito em relação a nós que já estamos na empresa.
Portanto, esta é mais uma mentira do Sr. Wagner Pinheiro que não tem credito nenhum com os trabalhadores, pois estes já não acreditam em uma só palavra que sai da sua boca. Logo que Pinheiro chegou para presidir a empresa, disse em alto e bom som que estava chegando para transformar a ECT numa Petrobrás, foi a única vez que ele disse a verdade, conseguiu sucatear todos os setores da ECT, como fizeram com a Petrobrás.
Sabemos que a direção do SINTECT/CAS tem sido uma pedra nos projetos da ECT, que tem atacado diretamente os trabalhadores, e se depender de nós o Sr. Wagner Pinheiro não terá vida fácil para implantar o seu pacote de maldade a categoria ecetista.

Nenhum direito a menos,
rumo a novas conquistas